A Avenida Rio Branco vai se tornar um Boulevard. Por José Luiz da Mota menezes

1Extremoz- Évora, Portugal. Restos da muralha medieval e a nova defesa e com o bulevar.

Na primeira metade do século XVII, precisamente 1635, a palavra boulevard empregava-se nas obras de defesa de praças. Quando começou o emprego do canhão, os recintos medievais, defendidos por altas muralhas, passaram a ser envolvidos por fortificações baixas, sendo o espaço entre essa muralha e a nova linha de defesa designado por boulevard, (era um grande terrapleno no entendimento dos engenheiros militares).

Com o desaparecimento, nas cidades que possuíam, das muralhas, os espaços vazios resultante deram lugar a avenidas e estas passaram ser também arborizadas, e eram por condições naturais chamadas boulevards. Em holandês temos bolwerc, ou seja, bastião, da arquitetura militar. Em português se traduz o termo como bulevar.

A Avenida Rio Branco vai se tornar um Boulevard, em português, bulevar!

A avenida já é um bulevar. Apenas descaracterizado, inclusive por conta da ausência da gestão pública. O que deveria ser dito seria: retornar a ser um bulevar. Ao longo do tempo arrancaram-lhe as árvores, destruíram o seu canteiro central e foram removidos os postes de iluminação, situados nesses canteiros centrais. Eram esses postes de ferro fundido, iguais aos antes existentes também na Avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro.

2Construção da Avenida Rio Branco, centro do Recife, na década de 10 do século XX Fonte: http://bairrodorecife.blogspot.com.br/2014/01/e-o-bairro-do-recife-veio-ao-chao.html*

O século XX, assim nos parece foi caracterizado pela destruição do que era bom, esteticamente, ora substituído pelo mau gosto. Vejam-se as edificações que substituíram os antigos palacetes, verdadeiros horrores constituídos por uma arquitetura sem criatividade e monótona. Não é a verticalização descontrolada, a verticalização é uma necessidade, mas essencialmente a falta de imaginação dos profissionais, que desse modelo arquitetônico são os responsáveis. Meras cópias, mal elaboradas, de prédios de São Paulo ou obtidas em revistas do exterior. Ausência por completo da relação entre as diversas partes edificadas dos lugares. Cada um por si e o mau gosto por todos.

Em pleno século XXI caixas de “papelão” com furos para respiração da pobre gente que neles vivem, estão sendo edificadas no Recife. Verdadeiras prisões verticais. O “moderno” em tais prédios, ora destacado pelos incorporadores, está concentrado no uso de esquadrias, onde o “belo” está presente nas janelas ou portas de vidros sustentados pelos alumínios. Como peitinhos, na composição, temos as caixas de guarda dos aparelhos de ar condicionados. Uma maravilha!

3Imagem fonte: Google earth*

Perderam-se no tempo os imóveis verticais que ainda perseveram em alguns locais do Recife, projetados por bons, mas já falecidos arquitetos. Hoje são poucos, muito poucos os imóveis que se destacam na paisagem urbana.

4Edifício Michelângelo de autoria de Acácio Gil Borsoi.         Fonte: http://acaciogilborsoi.com.br/projetos/anos-60/michelangelo/*

Para aquela avenida, assim nos parece, cada rua tem sua característica, bastaria remover o asfalto, refazer o canteiro central e a seguir repor as pedras das calçadas e replantar as árvores. Depois, criar quiosques condignos com a arquitetura da rua, Não seria necessário projetar nenhum pastiche, mas obras novas e de bom gosto, o que parece difícil pela falta de imaginação existente. Essencialmente depois do uso do cortar e colar, agora na vertical. O interessante seria dar um pouco de cor nas edificações, não as berrantes, que estão sendo aplicadas criminosamente no casario de Olinda. Um atentado ao Patrimônio Mundial da Humanidade.

Será que seria assim realizado? O custo é relativamente pequeno. Talvez não agrade.

José Luiz da Mota Menezes é arquiteto, urbanista, professor, Presidente do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano e da Academia Pernambucana de Letras

 

*Imagens selecionadas na internet por Tota Maia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s